Autossabotagem: o que é e como identificar?

Tempo de leitura: 6 minutos

“Se você desenvolve os hábitos do sucesso, você fará do sucesso um hábito.” (Michael E. Angier)

Muitas pessoas estudam, estudam, mas não conseguem passar nos tão sonhados concursos públicos. Ao serem questionadas sobre os motivos para o insucesso, costumam dizer que o mundo está contra elas, o sistema privilegia outros, os concursos são injustos e uma série de outras justificativas que apenas apontam para terceiros. Ou seja, a culpa nunca é daquele que fracassou. Mas e se for?

Esse é o primeiro passo para quem acha que o motivo do fracasso está lá fora e prefere sentar no sofá e se resignar. Caso você se identificou até aqui, é bem possível que seja uma vítima da autossabotagem.

Ela acontece quando uma pessoa cria, normalmente de forma inconsciente, dificuldades para atingir os próprios objetivos. Sendo assim, podemos definir esse processo como qualquer atitude destrutiva que a pessoa tome contra si própria, mesmo que ela não tenha exata noção de que está fazendo isso.

Como o processo pode ser inconsciente, é importante saber como identificar se esse é o problema com seus estudos, já que pode ser apenas um plano mal feito ou a falta de um material adequado. De qualquer forma, é preciso olhar para o próprio umbigo para identificar esse tipo de situação. Confira as dicas do Visão & Foco para compreender e evitar esse quadro.

Como identificar a autossabotagem

Existem algumas atitudes típicas cometidas pelas pessoas que praticam a autossabotagem. O que se deve fazer, portanto, é analisar a própria rotina em busca desses sinais para que, em outra etapa, se trabalhe para mudá-los.

A seguir, analisaremos alguns comportamentos que você pode estar tendo e nem se deu conta e que podem prejudicar seriamente o seu desempenho nos estudos, impedindo-o de alcançar os seus objetivos.

Pessimismo

Comece pensando na imagem que tem de si próprio e do mundo. Você se considera pessimista ou otimista? Se você respondeu realista, provavelmente você é um pessimista e está se autossabotando.

O pessimismo, mesmo quando disfarçado de realismo, é um dos mecanismos clássicos da autossabotagem. Graças a ele, você já estuda se preparando para não passar e, ao invés de usar seu tempo encontrando formas de sucesso, o gasta procurando desculpas para o fracasso que virá.

Pessoas pessimistas parecem ter a capacidade de atrair o fracasso. De tanto que você se prepara para ele, acaba mesmo acontecendo. Esse comportamento pode ser o causador de dois grandes inimigos do concurseiro: a preguiça e a procrastinação. Satisfeito com as baixas chances de sucesso, o candidato acaba não estudando com o afinco necessário e acaba por ser o causador do problema.

Medo do sucesso

Pode até parecer piada, mas muitas pessoas têm medo do sucesso. O receio de conseguir algo costuma estar relacionado ao medo da mudança. Você quer muito passar naquele concurso que vai pagar um ótimo salário e será na área que sempre sonhou, mas esse sucesso o obrigará a mudar sua rotina, muitas vezes mudar de cidade e haverá um consequente aumento nas responsabilidades.

Esse tipo de autossabotagem costuma gerar comportamentos bastante prejudiciais aos estudos (como ansiedade, irritabilidade e sensação de cansaço). O candidato acaba se dando por vencido, preferindo permanecer em sua zona de conforto do que encarar o novo desafio e já tem a desculpa perfeita: a nota baixa da prova.

Ele culpará o sistema, o governo e o mundo, mas dificilmente assumirá que estava em pânico com as mudanças que a nova profissão e cargo causariam em sua vida.

LEIA TAMBÉM: Como eliminar as vozinhas que tentam nos sabotar em 7 passos

Problemas de autoestima

Algumas pessoas simplesmente não se consideram competentes. Agem como uma criança que, ao andar de bicicleta pela primeira vez, força a queda apenas para mostrar a todos que a estavam incentivando que ela não era realmente capaz de realizar aquela tarefa.

Para identificar se você tem esse tipo de autossabotagem, preste atenção à sua modéstia. Assim como o pessimista se disfarça de realista, o portador de problemas de autoestima costuma se rotular de modesto.

São pessoas que têm dificuldades de externar suas qualidades e costumam ficar desconfortáveis quando recebem elogios.

Mais uma vez o processo mental é simples: o candidato, inconscientemente, faz de tudo para não passar na prova – afinal, ele precisa manter a imagem de vítima que construiu para o mundo.

Como evitar a autossabotagem

Se você se identificou com algum comportamento acima, então é chegada a hora de tomar providências.

Em primeiro lugar, apoie-se no seu plano de estudos. Ele tem a chave para o sucesso e é plenamente possível de ser realizado. Lute contra os pensamentos negativos que levam à preguiça e à procrastinação, ressignificando cada um deles. Faça uma lista das desculpas que você costuma dar aos outros, tais como:

  • “Não passei porque o sistema é injusto.”
  • “Não passei porque a concorrência é grande.”
  • “Não passei porque não tenho tempo de estudar.”

Em seguida, reescreva essas mesmas frases, alterando o lado negativo delas para algo positivo. Seja atrevido, mas não precisa ser piegas. A ideia de combater a autossabotagem passa pela reeducação mental, mas sem exageros, pois não queremos nos tornar o contrário: alguém excessivamente otimista.

Veja exemplos de como essas frases poderiam ficar:

  • “Para passar, eu preciso vencer as dificuldades impostas pelo sistema.”
  • “Para superar a grande concorrência, eu preciso estudar com foco e qualidade.”
  • “Para passar no concurso, eu preciso aproveitar melhor o meu tempo.”

Como você pode ver, essas são atitudes que te direcionarão de volta para o caminho do sucesso e prevenir os males da autossabotagem. Mas fique atento, porque esse é um processo contínuo e precisamos estar o tempo todo nos policiando.

Estudos indicam que apenas 5% das nossas decisões são racionais, ou seja, estamos quase que o tempo inteiro seguindo os nossos instintos. Sendo assim, essas técnicas nos ajudam a educar esses instintos, ao mesmo tempo em que nos permitem ter mais atenção nas atitudes conscientes. O resultado só pode ser o sucesso.

Quer nos ajudar a tornar esse artigo ainda mais rico e completo? Você pode. Deixe o seu comentário com sua opinião ou experiência em relação ao que acabamos de discutir, assim mais pessoas ficarão bem informadas sobre importantes assuntos envolvendo concursos públicos. E aproveite para conferir outros conteúdos do Visão & Foco!

8 Comentários


  1. Adorei! Me identifiquei com o artigo. Faz mais de dois anos que perdi meu trabalho, apos sofrer um acidente e fraturar os dois punhos (Hoje estou super bem). Nesses dois anos venho procurando estudar para concursos e no caminho acabo me autossabotando. Tenho sido dura quanto aos estudos e com a ajuda de seus artigos venho procurando me organizar da melhor forma e vencer a procrastinação. Parabéns pelo trabalho! Obrigada.

    Responder

  2. Muito bom, Gabi! Esse artigo fala muito, enquadrando pessoas, que assim como eu, não conseguem enxergar essa autossabotagem!

    Responder

  3. Ótimo,sempre me coloco com vítima do meu fracasso ,em vez de lutar contra meu próprio inimigo eu.Nunca consigo,tudo é difícil,to cansada de tentar.Mais quando leio estes posts vejo que só depende de mim.tenhi que lutar contra meus pensamentos negativos.me ajudou muito.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *